GUILLERMO PERRY

Guillermo Perry (1945-2019) foi uma das figuras políticas, econômicas e acadêmicas mais influentes das últimas décadas na Colômbia e em boa parte da América Latina.

Procurando manter viva a sua memória, e com ela seu legado intelectual, a CAF optou por fazer-lhe uma homenagem, intimamente vinculada a uma de suas maiores paixões: a universidade. Por isso, o Concurso de Ensaios Universitários CAF “Ideias para o Futuro”, organizado em aliança com os bancos centrais de seus 19 países acionistas, outorga o Prêmio Guillermo Perry, que reconhece o melhor trabalho dos estudantes da região.

Atribuir o seu nome a um prêmio que expressa ano a ano a visão de futuro dos jovens ibero-americanos em temas relevantes para o desenvolvimento, tem um simbolismo especial. Imaginamos que Perry, um homem que amava a discussão e o intercâmbio de ideias, teria gostado de fazer parte de um foro regional desta natureza, que premia o talento, a excelência universitária e as boas ideias, e que fomenta um debate sereno e propositivo.

Guillermo Perry foi membro da Assembléia Constituinte da Colômbia em 1991, ministro da Fazenda e Crédito Público (1994-1996), ministro de Minas e Energia (1986-1988), economista-chefe para a América Latina e o Caribe do Banco Mundial (1996-2007) e assessor do presidente da CAF. Foi diretor do CEDE na Universidade de Los Andes e de Fedesarrollo e professor-visitante nas Universidades de Oxford, Harvard (Kennedy School) e Florência (UNIFI). Foi também professor distinto na Universidade de Los Andes e membro não residente do Center for Global Development e do Conselho Diretivo do Global Development Network, o Latin American Program do Woodrow Wilson Center, o Comitê Latino-americano de Assuntos Financeiros (CLAAF) e Fedesarrollo, bem como de várias juntas diretivas e colunista habitual do jornal El Tiempo.

Realizou estudos de doutorado em Economia e Investigação de Operações no Massachusetts Institute of Technology, após receber seu título de engenheiro em 1967, na Universidade de Los Andes.

Foi autor ou coautor de mais de vinte livros acadêmicos e de numerosos artigos publicados em revistas especializadas em temas de desenvolvimento econômico e macroeconomia, desigualdade, informalidade e políticas fiscais, energéticas e financeiras, e consultor internacional em finanças públicas e política energética para várias instituições e governos na América Latina, Ásia e África. Em 2019 publicou seu livro de memórias Decidí contarlo (Decidi contá-lo), que teve uma grande recepção do público e da crítica.